BAMBALÁ
BAMBALÁ

A poesia que brota do cotidiano  — vivências e diálogos sonoros de Senegal, Mali e Brasil.

Bambalá Bambalá — Mo Maie & Sobobade Band

Bambalá Bambalá nasce do encontro entre musicista brasileira Mo Maie e o grupo senegalês Sobobade Band, formado por músicos do Oeste Afrikano, que fusionam linguagens e ritmos tradicionais com a música contemporânea.

Inovador e pluridiverso, o álbum Bambalá Bambalá foi criado a partir de vivências e diálogos sonoros pautados em trocas criativas e experimentações entre músicos de diferentes origens e identidades afrikanas e diaspóricas, entre 2018 e 2020, no Senegal, Mali e Brasil.

Todas as composições do álbum são originais e inéditas, tecidas a partir de diferentes matrizes e influências musicais, tendo por fio condutor a poesia que brota do cotidiano, inerente ao fazer musical afrikano e brasileiro.

Os temas são cantados em Wolof, Brasileiro e Francês, transmitindo aos ouvintes atmosferas de World Music, entre paisagens e texturas sonoras que conectam a Música Brasileira, o Reggae, o Desert Blues e o Afro Jazz, nos relembrando que a música não tem fronteiras.

Músicos –
Mo Maie: Vocal e Flautas
Mousseke Le Polivalent : Vocal
Liz Novais: Backing Vocais
Elhadji Malick Diouf: Lead Guitar
Ndongo Faye: Percusion
Djibril Bamba Niang: Bass
Diango Diebakhate: Xalam (Jèly Ngoni)
Iberê Sansara: Clarineta
Pape Ndyaye Samba Sene: Sabar
More: Sabar

01. Goré (Mousseke Le Polivalent e Mo Maie)
02. Malungo do Mali (Mo Maie e Mousseke Le Polivalent)
03. Mani (Mo Maie)
04. Bambala Bambala (Mousseke Le Polivalent e Mo Maie)
05. Flor do Cacau (Mo Maie)
06. NDOX (Mousseke Le Polivalent e Mo Maie)
07. Casa de Mayanga (Mo Maie)
08. Ndawrabine / Kalunga Grande É O Mar (Domínio Público / Mo Maie)

Gravado em – 
Mara Star Productions Music Studio
Dakar, Sénégal
Janeiro de 2020

Lab. Áudio Na Passagem
Mariana, Minas Gerais
Setembro de 2020/Maio 2021

Estúdio Duarte
Salvador, Bahia
Maio de 2021

Ficha técnica – 
Composições: Mo Maie e Mousseke Le Polivalent
Direção de Arranjos: Ndongo Faye 
Direção musical: Ndongo Faye e Mo Maie
Produção musical: Mo Maie

Gravação: Mow Mara Star
Productions Music Studio
Mixagem: Zacca
Masterização: Buguinha Dub

Produção Executiva: Pollyanna Assis
Streaming: Ladeira Records
Marketing: Nicolas Gomides
Consultoria de Marketing: Rachel Camargo
Design: Carol Trindade
Contabilidade: Sheila Calixto
Site: Victor Burgos

Realização: Djalo Musica Nomad e Sobobade Band

Álbum contemplado pela Lei Aldir Blanc Lab — Minas Gerais, 2020

Escrevivências

Ancestralidade e Reflorestamento

Arvores: Memórias e Reflorestamento

E-book bilíngue, escrito em brasileiro, com tradução para o francês, com dois livros geminados. Publicado pela Andarilha Edições, uma editora caminhante do Recôncavo Baiano.

 

Transatlântika, o Livro de Areia

autoria : Mo Maiê
gênero : prosa/poesia
lançamento : 2021
formato : e-book
idiomas : português/francês
páginas : 206
ISBN : 978-65-991857-9-3
edição e revisão : Deisiane Barbosa e Maíra Vale
projeto gráfico e diagramação : Deisiane Barbosa
ilustrações : Maine Jesus
ilustração de capa : Yohanna Marie
fotografias : Mo Maiê
tradução : Fanny Glemarec

Transatlântika, o Livro de Areia condensa poesia e prosa, levando leitoras e leitores ao encontro de culturas musicais e cosmopercepções afrikanas. ele tem como fio condutor relatos de viagens realizadas pela autora ao oeste do continente afrikano (marrocos, senegal e mali), entre 2007 e 2020.

O livro integra a coleção Árvores Memórias e Reflorestamentos que também inclui o volume Tempo, o Livro das Árvores.

Tempo, o Livro das Árvores

autoria : Mo Maiê
gênero : prosa/entrevistas
lançamento : 2021
formato : e-book
idiomas : português/francês
páginas : 267
ISBN : 978-65-994333-1-3
edição e revisão : Maíra Vale
projeto gráfico e diagramação : Deisiane Barbosa
ilustração de capa : Yohanna Marie
fotografias : Mo Maiê; Yohanna Marie
tradução : Fanny Glemarec

Tempo, o livro das árvores é uma compilação de transcrições de relatos orais sobre estórias de vidas de tradicionalistas, pensadoras, pensadores, mestras e mestres da cultura popular, em áfrica, brasil e américa latina, que vêm sendo reunidos por mo maiê, desde 2013.

A construção deste livro baseia-se na ideia do reflorestamento cultural, a partir da escuta sensível de estórias, como caminho para combater estruturas sociais racistas, genocidas e ecocidas.

O livro integra a coleção Ávores Memórias e Reflorestamentos que também inclui o volume Transatlântika, o Livro de Areia.

Outros lançamentos —

Tradução Kindezi: A arte bakongo de cuidar de crianças — Obra escrita por Kia Bunseki Fu Ki.Au e A.M. Lukondo-Wamba, com introdução de Marimba Ani e tradução para o brasileiro por Mo Maiê — disponível para download.

 

LÉKET — Cantos de Cabaça

Performance musical

LÉKET é uma performance musical que propõe narrativas visuais/sensoriais a partir de um mergulho em melodias, ritmos e sonoridades de instrumentos musicais feitos a partir da Cabaça e instrumentos de sopro, como a flauta e o saxofone.

Na Afrika, a Cabaça está conectada com tudo o que diz respeito à ancestralidade feminina, aos afazeres domésticos, aos ciclos das águas, ao domínio das chuvas, à fertilidade dos campos e das mulheres, à medicina e à magia… 

Dos elementos vivos na paisagem, a Cabaça parece ter sido escolhida como caixa ressonante para a música natural do Cosmos, seja nas Maracas, na Kora, nos Xekerês, Ngonis, nos Balafone, Caxixis, Berimbaus, Tambor de Água.

A Cabaça, chamada Léket na língua Wolof, do Senegal, é Útero do Som, onde nascem as vibrações do coração mundo.

Calendário do Som

Contado de 12 instrumentos musicais afrikanos, reconhecendo a importância central da participação de diversos povos do continente mãe na formação da nossa identidade cultural — disponível para download gratuito.

Contos, Cantos, Cosmopercepções

Podcasts

1. Djalo Música Nomad

Série que traz um recorrido sobre a riqueza musical de países afrikanos – Mali, Angola, Nigéria, Kongo, com seleção de temas, entrevistas com tradicionalistas afrikanos, brasileiros e sessões especiais sobre instrumentos musicais tradicionais.
Produzidos em parceria com a TV UFOP e o selo Muziek Mutantti,

2. Contos dos Orixás

O projeto nasceu em Barcelona, Espanha, em 2008, de uma parceria criativa entre Mo Maie e a artista costarriquense Analu Alvarado. Trata-se de contos musicais que surgem das estórias de divindades yorubás mescladas com poesia fantástica. Em 2008, em Barcelona, foram gravados os contos de Exu e Yemanjá. Em 2013, em Salvador, Bahia, o conto de Oxossi.

Búki Burri Búki Bumá — O Livro Vivo

Video-aulas

Um trabalho digital-artesanal de educação musical afro-centrada, Búki Burri Búki Buma é uma iniciativa de educação à distância que trás séries de vídeo aulas com artistas, mestras e mestres de tradições musicais afrikanas e brasileiras, buscando criar pontes culturais, afetivas e movimentar a roda de economia criativa.

Play Video

O primeiro módulo das vídeo aulas trará uma vivência com o Mestre Mounet Camará, do povo Baga, da Guiné Conakri.

Mounet preparou para nós vídeo aulas com bases rítmicas e canto de três manifestações presentes em seu país de origem, transpassando o ensemble de dunduns, djambe e claves para a cabaça: yancadí, yuli, sorsonet.

Play Video

O segundo capítulo traz aulas com os artistas Boubacar Cissé e Bangoura, da Guiné Conakri.

Conheceremos bases rítmicas e o canto de três manifestações presentes em seu país de origem para o lamelofone gongoma e as maracas kassenetes: yancadí, yuli, sauré.

Coleção Djalo

A Coleção Djalo perpassa pelos campos da música, o audiovisual, a literatura, a dança, as artes plásticas e a arte educação, sempre propondo celebrar a riqueza e diversidade cultural do Transatlântiko Negro, tendo por inspiração referencial cosmologias, formas, timbres e texturas de instrumentos musicais ancestrais e experimentais — acesse o material.

Terreiro de Grios — Revista eletrônica

Oralidade, Cosmopercepções, Cultura Popular e Afrikanidades

RSS :
  • Adinkras, percursos e escritas visuais
    Os adinkras representam um antigo sistema de escrita afrikano, simbolizando antigas ideias contidas em provérbios, traduzidas como símbolos de grande beleza estética, que foram resguardados pelo povo Ashanti, povo presente na Áfrika Ocidental, em países como Gana, Burkina Faso e Togo. Estes símbolos muitas vezes estão ligados à realeza, identificando linhagens ou soberanos e soberanas. […]
  • Santa Ifigênia
    Santa Efigênia ou Santa Ifigênia, como também é conhecida, é uma das figuras responsáveis pela difusão do Cristianismo na Etiópia, nordeste da Áfrika, um dos países mais antigos do mundo. Dentro do calendário cristão, seu dia é festejado em 21 de setembro, juntamente com São Mateus evangelista, responsável pela sua conversão ao cristianismo. Santa Ifigênia […]
  • claveconsciência e a diáspora afrikana
    mo maiê, ilha de itaparica, bahia, 2017 a diáspora do transatlântiko negro criou invisíveis visíveis cordões umbilicais entre a velha áfrika e vários territórios ao redor do mundo, pra onde antepassadxs foram levadxs, depois do grande sequestro.  o que hoje é o continente afrikano quem sabe talvez até que poderia não ter sido áfrika em […]

Mo Maie

Sou musicista, arte-educadora e pesquisadora da música do transatlântico afroameríndio. Escritora, artista visual e performer, e no decorrer de minha caminhada desenvolvi diversos trabalhos em parceria com artistas, redes criativas e comunidades no Brasil, Áfrika, Oriente Médio, Ásia e Europa.

Idealizadora da plataforma criativa Djalô Música Nomad, focada em pesquisa e arte educação, sob o viés do reflorestamento cultural, afrocentricidade, saúde/fortalecimento da mulher e reverência a nossas culturas originárias.